Medo do futuro

   Robert era alguém inseguro com tudo em sua vida.
   Robert não sabia o que aconteceria no dia seguinte, e temia tudo o que lhe poderia acontecer.
   Robert não confiava em si mesmo, e achava que não era capaz de conquistar suas vitórias, e sempre se rendia.

   Robert tinha medo do amanhã.
   Robert um dia descobriu a máquina do tempo.
   Robert então decidiu ver seu próprio futuro, para saber se um dia conseguiria realizar seus sonhos.
   Robert viu o que era a felicidade.
   Robert surpreendeu-se ao ver seu futuro tão belo e feliz.
   Robert tinha casa, mulher e filhos, boa vida financeira e viveria muitos e muitos anos.
   Robert então se torna alguém mais seguro e decidido.
   Robert, desta vez, sabia o que fazer.
   Robert conheceu Daniele, uma linda mulher pela qual se apaixonou.
   Robert casou-se com Daniele, como já havia previsto que faria. Foi feliz por algum tempo.
   Robert arrumou trabalho, e logo conseguiu a instabilidade financeira que queria, como também havia previsto que conseguiria.
   Robert logo vê seus filhos nascerem. Sua vida tournou-se tudo o que ele queria. Seus medos do futuro acabaram.
   Mas...
   Robert se garantiu rápido demais.
   Robert tornou-se alguém arrogante, pois não conquistou vitórias para chegar a vida que tinha.
   Robert já não amava Daniele como ela o amava, pois casou-se com ela apenas porque viu que casaria com alguém.
   Robert tinha o que queria, mas não merecia.
   Robert percebera sua família distante. Seus filhos cresceram e ele não soube lidar com isto.
   Robert nunca foi tão ligado aos seus filhos para entendê-los.
   Robert foi deixado por Daniele, pois seu jeito superior a afastou. As pessoas não aguentavam vê-lo gabar-se de sua vida.
   Robert estava sozinho. Não entendia o que acontecera. O futuro estaria enganado?
   Robert enfrentava crises financeiras em seu trabalho.
   Robert foi despedido.
   Robert estava acabado. Não conseguia compreender porque sua vida estava indo para o buraco, se um dia já esteve tão certo de que tudo daria certo.
   Robert pegou o carro e saiu no meio da chuva.
   Robert bateu com seu carro.
   Robert morreu.
   Robert subestimara seu futuro. Preferiu saber como seria sua vida sem saber como conquistá-la, ao invés de lutar para alcançar seus sonhos.
   Robert foi morto pela sua insegurança.
   Robert teria sido feliz se aprendesse a confiar mais a si mesmo, não temendo assim seu futuro. Teria valorizado cada dia feliz, amado sua mulher e filhos. Seria humilde em seu trabalho.
   Robert seria digno de seus sorrisos.
   Mas Robert apenas chorava.
   Chorava amargas lágrimas de frustração.

2 comentários:

hobbyblogclube disse...

Olá, Rafael!
Essa estória até me lembra alguém!
Abçs!
Rike.

Carla Farinazzi disse...

Poxa, gostei muito desse texto.

Quantos e quantos Roberts não existem por aí, por aqui, por ali. Muitos, por certo. A insegurança mata, meu caro.

Um beijo

Carla

Postar um comentário

Ajude o Beco a crescer! Se gostou do post que acabou de ler, deixe um comentário.